Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

domingo, dezembro 14, 2014

Corrida e Caminhada de Natal de Duque de Caxias


Como disse na postagem anterior, queria correr a subida do Cristo. Só que as inscrições abriram no dia 8 e se encerraram no dia seguinte. Eu ligava para lá e só dava ocupado. Tinha medo de chegar lá e dar de cara na porta. Quando consegui falar, aí já tinha esgotado. Então, me lembrei de que o Jorge Ultramaratonista tinha falado no Facebook a respeito da Corrida de Duque de Caxias, também gratuita. Não achei sua postagem no "Facebug", mas pesquisando na Internet consegui achar a página da prefeitura. Liguei para lá e ainda havia inscrições. Não pensei duas vezes e me mandei para Duque de Caxias, pois só havia inscrições feitas presencialmente.

Para minha sorte, peguei trem gelado na ida e na volta. Apesar de ficar um pouco em dúvida, cheguei facilmente ao local, a vila olímpica. Até porque já tinha ido lá em 2011 para pegar o kit do Circuito Fluminense.

No dia de retirada do kit também peguei trem gelado. Porém, minha ida e volta acabou demorada porque só passava trem de hora em hora. Para piorar, na volta, na plataforma sentido Central do Brasil, peguei o trem que estava indo no sentido oposto. Por não conhecer o local, saí na estação seguinte. Contudo nesta não tem como atravessar para o outro lado. Tive que sair da estação e pagar outra passagem. Não tinha a menor condição de eu esperar mais uma hora, pegar o próximo e saltar numa estação onde dá para contornar. Eu ainda vou cobrar essa da "SuperFria".

Eu imaginava que a corrida, por dar premiação alta em dinheiro (R$ 3000,00 para o 1º, R$ 2000,00 para o 2º e R$ 1000,00 para o 3º), teria o nível muito forte, até com quenianos. Se por menos eles aparecem, imagina por tal valor. Todo mundo dizia que o nível estaria fortíssimo e eu achava que não teria a menor chance de pódio mesmo que batesse meu recorde dos 10 Km.

No dia, acordei às 5:40 e peguei o trem velho mas geladinho para lá. No trem encontrei um jovem atleta do exército a caminho da corrida que também disse que o nível estava fortíssimo. Chegando lá ainda estavam fazendo as inscrições. Se eu soubesse, não teria feito essas duas viagens longas. Todavia, pela lei de Murphy, se eu tivesse tentado fazer no dia era provável que as inscrições já tivessem acabado.

Ali perto da estação de trem é feio. Entretanto, a praça do Pacificador, local da largada, estava linda com a decoração de Natal. Sem falar que a praça em si não é feia.

Não tinha muita gente e quase não via nenhuma mulher forte. Para melhorar, não vi quenianos. Acho que eles não vão por só por premiação e sim se tiverem cachê para participar, para serem as atrações, em detrimento dos atletas brasileiros. Ou então todo mundo achou que o nível seria forte e os próprios atletas de elite resolveram não se matar tendo premiação só para os três primeiros.

A largada atrasou um pouco porque não tinham ainda conseguido puxar o fio do poste para encher o pórtico de largada. Falta de organização total. A prefeitura sabia que tinha a corrida e deveria ter providenciado isso de véspera. Sorte que não estava muito quente. Com 15 min foi dada a largada e na primeira virada vi que estava em 4º. Passado algum tempo já estava em 3º. Até que saí num ritmo razoável. Todavia, a corrida teve duas subidas de viaduto, uma outra subida, muitas curvas e em duas ocasiões teve pista compartilhada com o trânsito, correndo o risco de haver atropelamento. Muita desorganização! Se a corrida é da prefeitura, o trânsito tinha que estar fechado no local. É só avisar com antecedência aos motoristas e na hora da corrida fechar mesmo.

Pelo que me disseram, não teve muita gente na corrida por causa da falta de organização. Parece que já teve gente atropelada em uma corrida em Duque de Caxias.

Para piorar, água só depois do 4º km. Imagina se tivesse fazendo o calor que fez no meio da semana! Se sem isso um cara passou mal no meio da corrida e deram banho nele com balde de água, imagina se tivesse pior.

Acabou que fui mesmo a 3º geral com 47:35 os 9,9 Km (meu GPS marcou 9,93 Km e o de outro rapaz, 9,91 Km). Equipe Portão 17 Maracanã mais uma vez no pódio! Cheguei quebrada e dolorida por causa do percurso. Se eu estivesse mais em forma, daria para tentar ser a segunda.

Peguei minha medalha e fui lanchar. Tomei um guaraná, comi 12 bananas e 12 barrinhas recheadas. Só não comi mais por causa da premiação e para não perder o trem das 10:32. Senão, só às 11:39. A premiação demorou porque teve gente que pegou o chip, dado apenas para os 10 Km, e resolveu caminhar os 3 Km. O professor José Luiz da FARJ teve que verificar os resultados antes de nos chamarem.

Foi a primeira corrida que participei sem pódio. Ficamos ali junto ao painel da corrida. Mais uma falha da prefeitura porque certamente tem pódio dentro da vila olímpica. Foi bacana segurar o checão. Pena que não pude levar para casa. Sempre quis ter um desses. Na verdade, o que eu quero mesmo é voltar a correr bem e ter saúde. Ainda estou correndo muito mal. Ganhar premiação é consequência. Na hora que o Zé Luiz me chamou, ele falou o nome da equipe e citou o fato de não termos mais pista para correr, infelizmente.

Quase que perco o trem na volta por causa da demora para preenchermos nossos dados para a premiação. E também porque durante a premiação masculina apareceu uma louca querendo tomar o microfone e perguntando ao apresentador sobre seus ancestrais. Deu um trabalhão para tirá-la de lá. Depois ela estava junto de um outro louco, mas sem atrapalhar mais nada.

Espero que a premiação em dinheiro não demore muito a sair. $$ sempre é bom!

Marcadores:

domingo, dezembro 07, 2014

Circuito das Estações - Etapa Verão


Depois de ir apenas para treinar na "5º Corrida e Caminhada de Confraternização pela Reconstrução do Estádio de Atletismo Célio de Barros" e conseguir fazer abaixo de 5 min por Km na soma do trote ao local da corrida e da corrida propriamente dita, sem forçar muito, decidi que estava na hora de voltar a competir. Eu queria ir no Circuito da Longevidade, que é bem baratinho. Entretanto, as inscrições já estavam esgotadas e acabei pagando quase 6 x mais para correr essa corrida. Pago caro por um kit luxuoso sem grandes utilidades para mim. Camisa e sacola de treino eu tenho aos montes. Para que um saco luxuoso de plástico envolvendo a camisa? Barra de cereal é sempre bom. Já a lata vai virar mais um porta-medalhas. Queria era um short, top ou meias no kit.

A retirada de kit foi no Centro de Convenções Sul-América. Bem melhor do que ir ao Leblon, Barra ou Ipanema. Se eu tivesse me tocado que desde quinta-feira dava para retirar o kit, teria ido e voltado a pé. Afinal, são só 2,8 Km até lá. Porém, como fui na véspera, não quis me cansar e fui de busão mesmo.

Me surpreendi ao ver que me puseram no pelotão quênia. Até onde eu sabia, para sair nesse pelotão teria que ter feito abaixo de 45 min nos 10 Km ou 22:30 nos 5 Km no último ano ou nos dois últimos anos em corridas da O2. Porém, minha última corrida da O2 foi em março de 2011 na etapa outono e eu nunca fiz menos de 45 min os 10 Km de uma corrida da O2. A única corrida da O2 em que eu fiz abaixo de 4:30 por Km foi na Leblon-Leme em 2007. A não ser que tenham levado em conta meu histórico de resultados no Ativo.com, onde tenho resultados bem melhores, definitivamente não era para eu estar nesse pelotão. No dia da corrida, constatei que para sair nesse pelotão tinha que fazer menos do que 4:30 por Km. Melhor para mim, que na largada não precisaria me preocupar com quem corre devagar desde a largada e quer sair lá na frente, atrapalhando quem corre mais rápido. Contudo, meu objetivo era um tanto modesto. Depois de 10 meses sem competir, pensava em fazer uns 47 min.

No dia da corrida acordei às 6 h, saí de casa às 6:30, chegando ao local às 6:55. Peguei meu chip, fui até o guarda-volumes, me aqueci, fui ao banheiro várias vezes e fui para a largada. Não sei se teve, mas o certo era separarem todos os pelotões com rigor assim como fazem no quênia. Todavia, tinha uma mulher com uma criança e carregando uma mochila ali. E um rapaz que visivelmente corre bem ali mas marcado como pelotão branco. Uma mulher, também marcada no branco, reclamava com os seguranças que a puseram no pelotão errado. Não duvido.

Tinha bastante gente, mas não tanto quanto da última vez que corri essa prova. Também, foram várias corridas no mesmo dia.

Me posicionei um pouco mais atrás. Tava quente para o horário, considerando que na verdade eram 7 h, por causa do horário de verão. Já na contagem regressiva, ela é interrompida porque o pórtico de plástico da Mizuno caiu. Tentaram recolocá-lo, mas não teve jeito a não ser tirá-lo.

Eu bem que tentei. Contudo, não cumpri minha meta. Fui a 4º geral com 47:53 nos 10,1 Km. Meu GPS marcou 10,13 Km e o de um cara, 10,11 Km. Como é basicamente reta, eu corri nas tangentes e os 5 Km só se juntavam aos 10 Km no finalzinho, não fiz nenhum zig-zague para justificar o extra. A distância a mais veio na virada dos 5 Km, pois até ali as marcações estavam ligeiramente adiantadas em relação às marcações do GPS. Minha frequência média foi de 171 bmp.

Sei que fui a 4º a cruzar a linha de chegada pois por duas vezes membros da organização me disseram que eu estava em quarto. Entretanto, ao chegar em casa, vi que meu resultado estava nos 5 Km (me inscrevi nos 10 Km e no meu número está escrito 10 Km). Para piorar, no meu lugar há outra mulher que fez tempo bruto e líquido abaixo do meu, o que é impossível, senão, teria sido vista. Como seu tempo bruto é menor do que meu, não pode ter saído mais lá atrás e perdido tempo. Ou correu 5 Km, ou é homem com chip de mulher, ou cortou caminho. Já reclamei no Ativo.com. Se não corrigirem, vou botar a boca no trombone!

Depois da corrida, comi 9 bananas e 10 maçãs. As frutas estavam muito verdes, tornando a escolha difícil. Eu levei várias frutas para casa.

A próxima corrida é a subida do Cristo. Não vai dar para fazer tempo bom porque é uma subidona. Todavia, será um desafio e tanto!

Marcadores:

sábado, novembro 29, 2014

Loja de Likes


Em setembro o Bob's lançou uma promoção no Facebook onde você teria que comprar um sanduíche através de curtidas. Cada pessoa poderia no máximo comer dois sanduíches diferentes: o Franfilé e o Picanha Barbecue 100 g. Eu não sou de comer essas coisas, mas queria comer os dois. De vez em quando não faz mal, né?

Aí começava a terrível tarefa de convencer as pessoas a curtirem as fotos. Eu compartilhava a foto várias vezes, marcava as pessoas, mandava mensagem... Ou seja, irritava todo mundo. E ainda tinha que avisar algumas pessoas que tinha que clicar e curtir a foto, e não a postagem. Se curtir a postagem de uma foto compartilhada, a curtida vai para a postagem e não para a foto. Até a minha mãe resolveu me ajudar e acabou que consegui umas curtidas de algumas de suas amigas. Teve gente que me excluiu e fui até bloqueada por uma pessoa. Uma das pessoas que me excluiu eu nem conheço pessoalmente e ela quem me adicionara. O cara que me bloqueou eu conheço na vida real, porém não é meu amigo. Então, não perdi ninguém que eu realmente goste.

O primeiro sanduíche foi relativamente fácil de conseguir. Já o segundo só consegui nos acréscimos dos acréscimos do segundo tempo. Achei até que não fosse conseguir. Talvez fosse mais fácil se eu fosse mais popular e interagisse mais no Facebook com outras pessoas. Porém, se eu fizer isso, não vou fazer outra coisa na vida. O fato é que as redes sociais tomam muito o nosso tempo de vida real.

Como se pode ver abaixo, bem pouca gente conseguiu. Eles iriam dar 500 de cada sanduíche.


Depois de cada sanduíche conseguido, fiz uma postagem com o nome de todos agradecendo. Ambos os sanduíches eu comi na loja do Shopping Tijuca, onde fui bem atendida. Nos dois casos, pedi sem salada. Apesar de o primeiro ser de barbecue, deveria ter pedido sem molho por não gostar de seu sabor. Já o Franfilé é muito bom.

Sorte que não apareceu nenhuma promoção de curtidas por aí. Senão, vou acabar com o Facebook com zero amigos e bloqueada por todos.

Marcadores:

sábado, novembro 22, 2014

Palpitar Resultado de Jogo de Futebol


Desde alguns anos a Parmê tem a promoção Palpite da Rodada no Facebook. Atualmente, nas quarta-feiras, precisamente às 16 h, já pode dar o palpite e os 10 primeiros que acertarem o placar ganham uma pizza super-família ou um rodízio. Eu jogo no meu e no da minha mãe. Tem que ficar a postos e jogar precisamente às 16 h. Não raro há mais de mil palpites. Se eu acertar, eu vou escolho ir ao rodízio, pois para mim sai mais em conta por comer muito, preferencialmente na filial Barra da Tijuca por causa das entradinhas, do buffet de pizza doces e das massas feitas na hora. Já se minha mãe acertar, ela prefere pedir a pizza em casa.

A Domino's resolveu não ficar atrás e algumas de suas filiais fazem promoção parecida, a princípio sempre usando o mesmo jogo da Parmê, mas com uma dificuldade a mais: tem que acertar o nome do autor do 1º gol. Nessa promoção, ganham uma pizza média os 3 primeiros a acertar. Tá certo que a promoção é recente, porém, nunca ninguém ganhou e poucos tentam. Pudera, se já é difícil acertar o placar ou acertar o autor do 1º gol, imagina acertar os dois juntos?

Eu sempre jogo com a razão. Para maximizar as chances, na Parmê sempre tenho jogado 2x1 para o time da casa, o placar sempre mais provável, a não ser que o time da casa seja um Botafogo da vida, digo, uma pereba da vida (rs!). Na da Domino's, eu costumo escolher 1x0 ou 2x0 para o time da casa (placar também provável) e escolho o maior artilheiro do time da temporada que provavelmente entrará em campo como o autor do 1º gol. Já acertei esse autor algumas vezes, mas nunca juntamente com o placar.

Já a minha mãe sempre joga com a emoção: o Mengão sempre ganha nos palpites dela. Se não for jogo do Flamengo, ela tende a secar os times do Rio ou algum que tenha ganhado do rubro-negro carioca recentemente. Já para o autor do 1º gol ela prefere usar a intuição mesmo.

Na Parmê minha mãe e eu já ganhamos algumas vezes. Como futebol não segue a lógica, as vezes dá um resultado totalmente inesperado, como a goleada de 7x1 para a Alemanha. E o pior que teve um cara que acertou esse placar!

Marcadores:

sábado, novembro 15, 2014

Encontro com a Parmê


Em agosto, recebi um e-mail da Parmê falando o seguinte:

"Prezada,

Juliana Carpes Imperial

Criamos a página da Parmê no facebook há dois anos e meio com o intuito de ter uma relação mais próxima com você! Contando nossas novidades, criando diversas promoções e ouvindo seus relatos e sugestões! Notamos que entre os mais de 600 mil fãs que nossa fan page tem, você é um dos que mais interagem conosco e por isso gostaríamos de convidá-lo para um encontro com nossa equipe de Redes Sociais para conhecê-lo ainda melhor e escutar suas sugestões! E também para você provar 10 novos sabores de pizzas que estamos querendo lançar e claro dar sua opinião! :)

Para isso precisamos saber o que seria melhor para realizarmos este encontro:

Qual destes dias seria melhor para você participar - 11/09 e 18/09 as 19 horas ou 13/09 e 18/09 as 15 horas?!

Estamos querendo realizar nosso encontro na Parmê do Nova América-Rua do Rio. Você poderia nos encontrar lá?

Cada participante irá ganhar um vale rodízio com direito a 1 acompanhante!

Aguardamos o seu retorno! Muito Obrigada!

Abraços,
Parmê."

Minha mãe também recebeu esse e-mail pois nós sempre participamos do palpite da rodada, quando temos que acertar o placar do jogo e os 10 primeiros que acertarem ganham uma pizza ou um rodízio, e participamos sempre da enquete do duelo de sabores, para saber qual prato vendeu mais de dois que estão na promoção para entrega a domicílio de um determinado dia. Mais ainda, sempre curto e comento coisas da Parmê. Afinal, coisa gostosa é comigo mesmo. No meu caso eu posso dizer que mereço mesmo ser convidada a esse tipo de evento pois sou uma das primeiras fãs da época em que foi inaugurado o Twitter da Parmê.

A mensagem acima não me ficou clara e achei que o encontro seria em dois dias. Depois do esclarecimento, respondi que minha mãe e eu gostaríamos de ir no dia 13. Mais para perto da data, minhã mãe pediu para remarcar pois havia aparecido um churrasco na mesma data dos amigos do meu pai que trabalharam com ele. Consegui adiar para o dia 20 desnecessariamente, pois o churrasco fora adiado indeterminadamente por falta de interessados (até hoje não ocorreu!).

No dia chegamos com antecedência ao shopping para pegar um exame meu e aproveitamos para passear um pouco por lá. Saí de casa mais cedo do que o desejado porque minha mãe não queria ir pela estação Maracanã por causa dos pivetes. Acabou que fomos pela estação Sães Peña. Chegando lá, ficamos o maior tempão numa exposição de Playmobil. Não sabia que os brinquedos eram tão caros assim. Por isso é que não tive todos os que queria.

O shopping é meio confuso e mesmo já o conhecendo me perdi por lá. Contudo, chegamos na hora marcada na Parmê. As moças do Marketing até me reconheceram pela foto do Facebook e sabiam que eu sou atleta. Ganhamos uma caneta e nos entregaram um um relatório para dizer nossas opiniões sobre vários aspectos da Parmê e uma lista de sabores de pizza que iríamos degustar e que deveriam ser avaliadas.

Durante esse encontro o refil era livre. Eu nunca bebo nada ao comer, mas como achava que iria comer pouco, acabei tomando um total de 4 copos de 300 ml de guaraná zero. Enquanto enchia o copo, paquerava o buffet premium. Vi que tinha a feijoada junto com o buffet premium, com tudo o que tinha na vez que comi (principalmente o doce de leite).

Eram os sabores da copa e uns sabores novos. Ao contrário do que pensei, dava para repetir a fatia de cada sabor. Conclusão, comi um total de 27 fatias das pizzas a serem provadas. Só não comi mais uma por falta de espaço no estômago. Tinham 2 rapazes que não comeram quase nada por acharem os sabores estranhos. Mas numa degustação não vai ter os sabores de sempre, não é mesmo? O fato é que eu fui a que mais comi no total. Algumas eram muito boas, outras, muito estranhas. O fato é que num rodízio eu sempre prefiro as de sempre: mozarela, 4 queijos, parmegiana, alho, peperoni, queijo minas e os calzones.

Durante a longa degustação, falamos o quanto gostamos da Parmê e o que preferimos lá. Falamos também um pouco das concorrentes. Algo obviamente citado foi o fato de a pizza de paçoca ter estado presente no cardápio somente durante as festas juninas. Ao final pudemos escolher 2 sabores de pizza doce entre chocolate e banana e comi 2 fatias da de chocolate. É uma pena muito grande a de paçoca não estar presente pois não a provei na época. Também lamentei não oferecerem um cafezinho para a gente ;)

Usei meu voucher no dia seguinte mesmo na loja do Shopping Tijuca à noite. Caí dentro das entradinhas e do buffet de massas. Obviamente, ao final pedi o cafezinho.

Tomara que haja outro evento desses e que me convidem! Eu já estou me convidando! Quem sabe não fazem um para provarmos os demais pratos da Parmê? Ou então as tortas (sim!!!)?

Marcadores:

sábado, julho 26, 2014

Arroz e Feijão no Mc Donald's

Depois de me recuperar da última lesão, uma tendinite no tendão conjunto do glúteo esquerdo, ainda não posso competir. Então, nada de falar de corridas por enquanto. A última corrida foi lá em Fortaleza, quando já sentia o problema (que já existia há alguns anos), infelizmente.

Portanto, vou falar do que provei recentemente. Sim, existe arroz e feijão no Mc Donald's! Só não foi tão fácil assim de encontrar. Na loja do Shopping Tijuca a atendente sequer sabia do que se tratava. Já nas lojas da Rua Santo Afonso, Shopping Iguatemi e Niterói Plaza Shopping disseram que ainda não estavam vendendo e que isso seria feito em breve.

Encontrei a iguaria na loja da Rua Sete de Setembro. Pedi o meu sem salada e com mais arroz e feijão em uma terça e em uma quinta. Em ambos os dias, só tinha carne de hamburguer bovino para acompanhar. Ao contrário do que li na Internet, o prato estava longe de ser sem tempero. Achei o feijão até um pouco apimentado demais para o meu gosto. O feijão que comi era o preto, enquanto que o que vi em fotos na Internet era o manteiga. A comida em si estava gostosa. Apimentado, e de maneira exagerada, era o preço, de R$ 23,00, considerando o tamanho do prato. Porém, sabemos que nada no Mc Donald's é barato.

Marcadores:

sexta-feira, abril 11, 2014

3º Corrida da OAB


Com medo de acabarem as inscrições, também fiz a inscrição dessa corrida com antecedência. Ao contrário do Rio de Janeiro, não é todo o fim de semana que tem corrida em Fortaleza.

O Cross da semana anterior fora muito pesado, portanto, minhas pernas foram ficando só mais cansadas durante a semana e no treino de sexta eu simplesmente me arrastei.

No sábado fui pegar o Kit no supermercado São Luiz. Essa foi a primeira vez que peguei o kit da corrida em um supermercado.

No dia, precisei acordar às 4:30 já que a largada era às 6:30 no Aterro da Praia de Iracema. Ao menos, por já ter morado lá, sabia exatamente o local da corrida. Em Fortaleza as corridas começam cedo demais. Eu prefiro pegar calor e ir treinar mais tarde do que correr sonolenta.

Mesmo com o equivalente à guarda municipal do Rio em greve, a polícia estava lá para garantir a segurança da corrida.

Chegando lá até bem rápido de táxi, ainda estava amanhecendo. Tirei fotos e fui me aquecer. O dia de descanso de sábado não ajudou a melhorar a situação das minhas pernas.

Na hora da concentração da largada, várias mulheres com cara de boas corredoras diziam que iriam correr os 10 Km. Já sabia nessa hora que não pegaria pódio.

Dada a largada, eu bem que tentava, mas não conseguia render na corrida. Muitas mulheres saíram na minha frente e me deixaram para trás. Contudo, se eu tivesse me inscrito nos 5 Km, talvez tivesse sido a segunda geral, pois no retorno dos 5 Km só uma mulher passou antes de eu alcançar esse ponto. Não consegui entender isso, pois aqui no Rio de Janeiro as mulheres mais fortes preferem correr os 5 Km quando a premiação é a mesma, o que era o caso nesta corrida. Mais ainda, o desequilíbrio de forças em ambas as provas, ao menos no feminino, foi gritante.

A corrida foi impecável nos aspectos hidratação e pontualidade. Porém falhou no erro da distância, pois a prova mais longa não tinha 10 Km e sim 9,6 Km. Um erro inaceitável pois dava muito bem para alongar o percurso da corrida por mais 200 m. Terminei o percurso em vergonhosos 47:50, sendo a 67º no geral absoluto, a 9º no geral feminino e a 3º na faixa-etária de 30-39 anos.

Ao final, no lanche, tinha rapadura! Não gostava mas aprendi a gostar. O fato é que tem um gosto meio estranho. Prefiro doce de leite.

Depois da premiação da geral em ambas as provas, dos advogados e das equipes, o narrador disse que haveria premiação na faixa-etária. Só que teria que pegar a medalha lá na OAB, algo que fiz na minha última sexta-feira no Ceará. Para a minha decepção, a medalha foi igual à de participação, exceto por um adesivo no verso dizendo que tinha sido a terceira.

Esta corrida infelizmente foi a minha última no Ceará. Iria ter mais duas até a minha volta. Na do Circuito das Estações eu já não iria porque na véspera eu iria ao Recife, o que foi uma ótima viagem. E acabei perdendo a da Cagece por causa de lesão.

Desde antes de ter minha última lesão na perna direita, eu já sentia uma dor chata na parte de baixo do glúteo esquerdo, que era semelhante a de ciático, porém pegando mais abaixo do piriforme. Sempre fazia alongamentos e ia levando. Várias das corridas do ano passado corri sentindo isso. Só que chegou a um ponto que não dava mais. Nas duas semanas seguintes começaram a pipocar dores em tudo quanto é lado. Minha panturrilha direita inflamou, tive uma leve contratura no posterior esquerdo. E, para piorar, a dor que sentia no glúteo esquerdo começou a ficar forte mesmo durante a continuação do exercício, o que não corria antes. Ainda estou aguardando o resultado da ressonância.

Marcadores: