Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

sábado, maio 05, 2007

Vida de Novela 2


Como já disse, não sou de assistir novelas. Porém, quando estava no hotel em BH, vi um trecho de "Paraíso Tropical". Nele, a amante do personagem do Tony Ramos vinha tomar satisfações com ele, querendo terminar tudo por sempre ter sido enganada e pelo jeito como ele tratava a esposa.

Porém, ele, com suas chantagens emocionais, conseguia inverter as situações. Com isso, de culpado, que realmente era, passava a vítima, deixando a amante numa situação de como se ela lhe devesse pedir desculpas e de que ela o cobrava demais. Ou seja, de que o certo era ele e a errada era ela.

Isso me faz lembrar aquele meu ex-namorado ateu a quem já citei algumas vezes aqui. Ele era assim mesmo, vivia invertendo as situações. Ele tinha sucesso porque eu era loucamente apaixonada por ele, tal como é a amante do Tony Ramos da novela. Como não queria perdê-lo, mesmo quando já não o tinha, era capaz de me submeter a qualquer coisa para não fazer com que ficasse raiva de mim.

Assim como na novela, quando ele conseguia o que queria, seu olhar transbordava arrogância. Ficava com aquele sorrisinho cínico...

Uma vez, ao reclamar de que ele estava desrespeitando a namorada ao dizer certas coisas para mim, me mandou um e-mail com um monte de desaforo. Na época, chorei e pedi desculpas, dizendo que realmente errara. Ao se encontrar comigo pessoalmente algum tempo depois, disse que era melhor não nos falarmos porque não queria brigar comigo, com aquele jeito arrogante que lhe é de praxe. Só que eu estava certa nas coisas que lhe dissera. Anos depois, ao reler o e-mail dele, percebi que ele atribuiu a mim tudo o que ele faz ou é. Hoje em dia eu não cairia nessa. Mas naquela época, os sentimentos falavam mais altos.

O mesmo aconteceu quando eu lhe dissera que ele fazia chantagens emocionais. Agiu de forma que eu acabasse lhe pedindo desculpas. Uma pessoa apaixonada se deixa levar. Porém, quando a paixão já não existe mais, é possível conseguir se deixar levar pela razão e não cair na dele. Foi o que aconteceu no nosso último encontro, em 2005. Ele fez de tudo para me seduzir, mas não teve jeito. Um dia conto toda a estória. Leiam, porque será muito interessante.

Marcadores:

1 Comments:

At 1/12/2008 6:36 PM, Blogger Lóginus said...

É incrível como as histórias são as mesmas... mudando apenas os personagens.

Bom... um indivíduo as vezes leva anos pra mudar sua percepção de valores. Sua percepção de vida. Sua percepção de morte.

Uma vez, na aula de Filosofia para Informática, o professor falou sobre os grandes hiatos que acontecem nas vidas das pessoas. Me identifiquei quando ele mencionou as palavras "namoro", "reconhecimento", "intolerância", "sinceridade".

Bom, não sei se é uma regra, mas... acho que os homens tendem a serem intolerantes... e se fecham! Foi o que eu fiz com minha ex. Eu, na época cheio de problemas me isolei, e quando eu era cobrado (na verdade "cobrado" é uma palavra forte), quando minha ex pedia uma maior atenção ou aproximação eu me afastava... e quando vinham brigas eu usava essas malditas chantagens emocionais, pq eu sabia q ela era louca por mim.

Bom... eu não sei como terminou sua estória, mas a minha foi bem "Heavy Metal"
\m/o.O \m/

Quando caí em si, não tinha mais volta! Que também é outra estória que vou contar depois.. só não sei se é muito interessante.. rsrssrs

;b

Beijão!

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Free counter and stats for your website on www.motigo.com