Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

terça-feira, outubro 27, 2009

Jogos Abertos do Interior (JAI) 2009


Ontem, no dia 25 de outubro, fui competir a prova dos 5.000 m e 800 m rasos nos Jogos Abertos do Interior. Embora eu estivesse bem de saúde no dia, tendo dormido bem e me alimentado bem na véspera, estive meio gripada durante a semana, o que acabou com o meu desempenho nos treinos. Para piorar, estive em um congresso em Petrópolis (ERMAC - Encontro Regional de Matemática Aplicada e Computacional), no LNCC, nos dias 22 e 23, e comi tudo o que uma atleta não deve comer. Ou seja, além de não estar devidamente treinada, estava com o organismo poluído.

O Thiago ia me assistir. Porém, nada de ele atender o telefone bem cedo. Com medo de possíveis furtos, não levei o celular nem a câmera dele. Chegando lá, fui me aquecer e assim que abriram as inscrições, houve um pequeno rolo pois os árbitros não sabiam se poderia haver atletas avulsos (eu não competia por nenhum município do interior do estado). Com o organizador chegando e avisando que podia, desde que fossem apenas 2 atletas avulsos por prova, minha inscrição foi feita sem maiores problemas. Só eu fui de avulsa na prova. Queria poder competir por algum município, mas infelizmente não conheço ninguém. Principalmente para poder participar de provas de revezamento, embora eu esteja longe de ser uma velocista. Em 2005 tentei por Nilópolis, mas o representante esportivo do município, Marco, só me enrolou, dizendo que havia me inscrito quando na verdade não inscrevera ninguém. Se tem uma coisa que eu não gosto é de mentira. Por que não falou a verdade e apresentou seus motivos para não fazê-lo desde o início? Dessa forma, eu poderia procurar outro município e não ficar em uma tola expectativa.

Nisso, vi o Thiago. Ele simplesmente não ouvira os toques em seu celular. Logo depois, fomos chamadas para a prova dos 5.000 m. Demorei um pouco pois como sempre nós mulheres precisamos ir ao banheiro antes da prova, que estava ainda mais nojento como de costume.

Eram 9 h da manhã (na verdade, 8 h, pois estamos no horário de verão). Mesmo assim, estava muito quente. Por isso, pedimos água durante a prova, o que nos foi concedido. Dada a largada, saí por último como de costume. Percebendo que duas adversárias estavam mais lentas do que eu, as ultrapassei. Mesmo sabendo da dificuldade, queria fazer 1:40 por volta, algo que só sustentei até a 3°. Também tentava me aproximar da que estava logo à minha frente, a Rízia, mas a distância dela para mim só fazia aumentar. Ela correra mal para o que sei que pode fazer. A campeã foi nada menos do que uma atleta olímpica, a Maria do Carmo Arruda. Ela é bem legal e chegou a me incentivar durante o 2° capote. Terminei as 12,5 voltas em 22:46.9, em 5° lugar entre 7 atletas. É um tempo ruim, mas, considerando o que eu passei, foi dentro do esperado.

Como o resultado não foi vexaminoso, resolvi que ia correr os 800 m. Ao contrário do que estava no site, a prova seria de manhã, às 11:55 e não no meio da tarde. Por isso, Thiago e eu voltamos para minha casa, onde terminei de fazer o macarrão que estava preparando para o almoço, que foi congelado para a próxima competição. Tiramos algumas fotos, ele fez um esboço de um boneco do bozo, e fomos de volta para lá às 10:45. Quando fui me inscrever, já havia uma atleta avulsa. Ainda bem que cheguei com certa antecedência, senão, poderia perder a prova.

O Thiago tirou mais algumas fotos por lá enquanto eu trotava. Como a competição não deu muita gente, as provas estavam adiantadas e fomos chamadas bem antes da hora. Como haviam 9 atletas e os juízes não queriam que tivesse uma 2° bateria, puseram a saída em arco, na largada dos 10.000 m. Estava um sol de rachar. Eu bem que tentei me manter logo atrás da ante-penúltima. Porém, não sou corredora de 800 m rasos e sofri para chegar ao final em vexaminosos 3:09.3. Na última volta, uma garota até ficou meio para trás, provavelmente por ter saído muito forte, mas não consegui alcançá-la a tempo pois estava muito longe. Terminei em 8°.

Após isso, meu namorado resolveu que ia tomar um banho no vestiário enquanto eu trotava. Mas logo ele saiu do banheiro sem camisa e com os cabelos molhados. É que ele já tinha posto a cabeça embaixo do chuveiro e tirado a camisa quando olhou para o outro canto e viu 2 homens se atracando, um branco e magrinho fazendo sexo oral no outro, negro e fortão. Eram atletas, pois havia medalha pendurara na basculhante e roupas de competição jogadas no chão. Os atletas nem se incomodaram com a presença do Thiago, que resolveu sair correndo. Nisso, outros atletas nus chegaram para tomar banho, acho eu. Não me pergunte o que aconteceu depois, porque ele não seria louco de ficar lá para contar a estória.

Só sei que isso é uma pouca vergonha. Não poderiam fazer isso em um lugar mais reservado, nem que fosse dentro da cabine do banheiro, embora isso não seja o lugar para tais intimidades? Não pensem que estou escrevendo isso porque eram gays. Condenaria esse assanhamento entre um casal hétero do mesmo modo. Se o seu Lancetta, o presidente da FARJ, pegasse isso, esses atletas certamente seriam suspensos, isso se ele também não chamasse a polícia. Ele é um cara muito sério e não gosta dessas coisas.

Depois de tudo isso, voltamos para minha casa para almoçar e passamos o dia juntos. No domingo que vem, sou eu que vou prestigiar o Thiago em um evento de anime em Niterói.

Finalmente, clique aqui para ver algumas fotos da competição no meu Orkut.

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Free counter and stats for your website on www.motigo.com