Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

sábado, outubro 03, 2009

Show do Angra no Canecão 2009


Como já falei aqui, em 2006 não fui porque havia uma competição próxima e acabou que não corri nada mesmo tendo feito tudo certinho. Nessa época, eu quase não conhecia o Angra, mas já gostava. No dia 29 de maio deste ano não havia competição nenhuma próxima, então, resolvi ir.

Como não sou de ir a shows por dormir cedo, fiquei receosa de ir sozinha, ainda mais em um show de heavy metal e que também teria o Sepultura, muito mais pesado do que o Angra. Tentei levar a minha mãe, mas como ela não gosta do gênero musical, não quis ir e não queria que eu fosse sozinha. Como estava determinada a ir, fui até a Hard'n Heavy e comprei o ingresso, que era de 1/2 entrada para todo mundo para a pista. Havia uns adolescentes interessados também. Infelizmente, não teve tarde de autógrafos do Angra na loja, só do Sepultura. Quando cheguei em casa com o ingresso, fui chamada de doida.

O dia do show foi o meu último dia como funcionária da empresa, já que a minha bolsa de pesquisa já havia saído. Então, saí mais cedo e fui até ao restaurante do Círculo Militar da Praia Vermelha. Dexei minha bolsa no escritório, trazendo comigo apenas $$, o ingresso e o celular em um bolso escondido dentro da calça. Ao passar pelo Canecão, já havia uma pequena fila com pessoas trajando preto. Eu também estava toda de preto. Comi até demais: nuggeds, salada de maionese, frango à parmeggiana e pirê de batata. Depois, fui passear no Rio Sul, onde várias pessoas de preto e com camisas do Angra passeavam e lanchavam.

Por volta das 19 h, fui para a fila, que estava animada. Pena que algumas pessoas fumavam. A maioria dos fãs era bem jovem. Cheguei a ver alguns pais acompanhando os filhos. Um cara distribuindo flyers da RedWalls me reconheceu, dizendo: "Estou te reconhecendo! Você é a atleta!" Foi uma risada só.

Quando chegou a hora de entrar, vi que a casa de shows era pequena. Ao contrário do que pensava anteriormente, resolvi ficar bem lá na frente, mais para o lado esquerdo, onde tinha boa visibilidade e quase que podia tocar o palco. Vi alguns fãs do Orkut no show. Lá tudo era muito caro. Uma garrafa d'água, por exemplo, custava R$ 3,50.

Vi que algumas pessoas perguntaram aos vendedores se poderia fumar lá dentro. Sendo um lugar fechado, não deveria poder. Mas os vendedores disseram que não era uma boa idéia fumar com a luz acesa e que deveriam esperar as luzes se apagarem.

Foi uma longa espera ali apertada no meio daquela gente toda. Mas quando deu 21:45, anunciaram que faltavam 15 min. O Angra entrou pontualmente. Achei o show muito curto, mas emocionante. Quase fui amassada lá na frente, mas fiquei feliz. Cheguei a olhar nos olhos do Felipe, e a tocar no Rafael e no Edu. Achei os 3 bem espontâneos e muito simpáticos. Não pareciam ser aqueles caras que bebem ou se drogam. Aparentavam estar de cara limpa. Não posso dizer nada sobre o Kiko ou o Ricardo pois estavam muito distantes do meu campo de visão.

Houve algumas falhas no som e até mesmo dos músicos, o que é normal em um show ao vivo. Eu não vi, mas teve gente que disse que o Edu se emocionou ao cantar Rebirth, provavelmente pelo fato de a banda ter ficado parada muito tempo e quase ter terminado. Teve um cara que driblou o segurança e subiu no palco. Acho isso uma enorme falta de respeito com os artistas. Ao final, um cara sortudo do meu lado pegou o set list jogado pelo Felipe. Um fã jogou um casaco e o Rafael pegou. Logo depois voltou e devolveu o casaco devidamente autografado nas mãos do dono. Um cara que estava do meu lado disse que aquilo era que era ser gente boa.

Set list:
1 - Carry On / Nova Era
2 - Waiting Silence
3 - Lisbon
4 - Angels Cry
5 - The Course of Nature
6 - Make Believe
7 - Acid Rain
8 - Metal Icarus
9 - Late Redemption
10 - Nothing to Say
11 - Rebirth
12 - Spread Your Fire

Logo após o show, muitas pessoas foram embora pois não estavam a fim de ver o Sepultura. Eu sabia que o Angra voltaria e já que eu estava lá, por que não ver o Sepultura? Só fui mais para trás. Me espantou o fato de duas garotas bonitas e bem arrumadas estarem se beijando, algo que nunca tinha visto ao vivo. Não que eu tenha preconceito, mas é que realmente nunca tinha visto esse tipo de coisa. O que ainda não vi ao vivo são homens se beijando.

Quando começou o show do Sepultura, vi algumas pessoas fazendo rodinha, se empurrando e se batendo bem do meu lado. Me assustei e me afastei. Como o chão ficou molhado com água, ficou escorregadio e alguns deles cairam. Engraçado é que os seguranças praticamente não agiram. Numa hora um deles foi até o meio do público, mas não fez nada. Sinceramente, não vejo graça nenhuma nisso. Um cara no Orkut que disse que o show do Angra é fraco porque não dá para fazer isso foi massacrado pela opinião dos outros. Show é para curtir as músicas e não para brigar. Na Internet os músicos do Angra dizem que as pessoas não precisam temer os fãs do sepultura e que não tem mais disso de briga, mas definitivamente não foi o que eu vi.

O show do Sepultura foi bom, principalmente pelo Andreas, que toca muito. Mas não compraria um CD deles para ficar ouvindo. Havia do meu lado um senhor de idade curtindo a beça. E soube de um casal que levou o filho de 3 anos. Acho isso muito imprudente, pois uma briga poderia ocorrer. Pelo menos a criança estava com protetor de ouvidos, mas já fazia o gesto comum dos metalheiros. Soube depois, inclusive por fotos, que o Rafael e o Felipe foram para o meio da galera curtir o show.

O que eu não esperava era ser paquerada por uma garota do grupo das que estavam se beijando. Ela passou por mim várias vezes e começou a falar que realmente estava me atrapalhando e disse que meu cabelo era lindo. Agradeci o elogio. Ela começou a puxar papo e eu falei que meu namorado não viera pois não gostava do gênero musical. O pior é que quando disse que ia ao show ao meu ex-ficante, ele disse que gostava de heavy metal. Depois, conversando com um amigo, disse que achava um suplício. Realmente, um cara que não sabe quem é o Angra não pode gostar de heavy metal. Sem falar que ele é funqueiro e funqueiros não costumam gostar de metal.

Ela não saía do meu pé. Quando o Angra voltou junto com o Sepultura, fui mais para frente e ela perguntou se eu não queria que ela me colocasse nos ombros. Disse que não. Ela começou a me animar pois achava que eu estava pouco empolgada, quando, na verdade, estava preocupada com a situação. Ao final do show, ela perguntou se eu não queria que ela me mandasse as fotos do show. Dei-lhe meu e-mail, mas ela nunca mandou. Queria me dar carona para voltar para casa também. Ao final, ela perguntou se eu era realmente comprometida e eu disse que sim. Agora eu posso dizer que sim, e ele gosta de Angra! Ou seja, vai comigo no próximo show.

Infelizmente, costumo ser paquerada por mulheres com frequência, mas só quando estou correndo. Na própria São Silvestre do ano passado fui paquerada pelo menos umas duas vezes durente o percurso. Poxa, logo eu que sempre vou correr bem bonita...

Na hora de ir embora, eu estava bem rouca de tanto gritar e cantar. Ao chamar o táxi do TeleUrca, o atendente perguntou como eu estava vestida. Algo complicado, pois todo mundo estava de preto. Eram poucas as exceções, como o caso da garota que me paquerou e de suas amigas.

Chegando em casa, estava eufórica. Demorei a dormir por causa disso. Minha mãe estava muito preocupada, mas cheguei sã e salva. Obviamente, não deu para treinar no dia seguinte. E até mesmo no domingo foi difícil. Realmente, vida noturna e atletismo não combinam.

Vejam as fotos tiradas do show por alguns de fãs no Meu Orkut

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Free counter and stats for your website on www.motigo.com