Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

terça-feira, dezembro 01, 2009

Corrida Pan-Americana 2009


O Thiago bem que chegou a se inscrever no site da corrida, mas estava sem $$ e acabou não homologando sua inscrição na prova. Se tivesse me avisado a tempo, poderia ter feito isso por ele. Se bem que ele deveria ter se inscrito nos 5 Km, não nos 10 Km. De qualquer forma, ele me ajudou com a promoção do Torrone Montevérgine, comprando e comendo 3 unidades para tirar a foto no painél e concorrer a um prêmio infantil, que venderíamos se ganhássemos. Infelizmente, ele perdeu uma das embalagens, o que fez com que só pudéssemos concorrer com 2 delas.

Na véspera da corrida eu não dormi bem. Demorei a dormir e tive sono leve. Não sei se foi ansiosidade, hormônios femininos baixos ou o calor que tem feito. Talvez a ansiedade tenha elevado meu cortizol, que já deu acima do normal em um exame, o que definitivamente não é bom. Só sei que por causa desse calor não tenho conseguido treinar bem, principalmente nos treinos longos. Começo a ter dores de barriga e desidratação, mesmo bebendo bastante água.

No dia, em 29 de novembro, estava me sentindo um pouco entorpecida. O Thiago chegou por volta das 6:15 e fomos para o Aterro do Flamengo. A primeira coisa que fizemos ao chegar foi tirar a foto no painel, antes que ficasse com fila. Pena que não poderíamos tirar 2 fotos, já que tínhamos 2 embalagens.

Como a corrida não estava muito vazia e não era "elitista" (com maioria absoluta de pessoal de academia e personal trainers), não dava para correr de sunguinha, algo que ficou restrito a fotos. O tempo estava nublado, mas muito abafado. Fui me aquecer e sentia que estava fazendo força para correr, ao contrário do que ocorreu na semana passada.

Já o Thiago estava visivelmente chateado por não estar inscrito, principalmente por ver que quase todo mundo ali estava indo correr e ele não. É que ele não sabe o que é estar lesionado e ver todo mundo correr não poder nem andar direito. Eu nem gosto de assistir provas de corrida e de atletismo quando estou quebrada para não ficar triste.

Na hora da largada, tinha bastante gente, mas muito longe das 6.000 pessoas que a organização anunciava. Fiquei mais para frente na hora da largada sem grandes problemas e não vi nenhum empurra-empurra.

Dada a largada, me mantive junto com outra garota, treinada pela Janete Mayal. Minha frequência cardíaca estava alta e eu estava achando que estava num ritmo forte. Durante uma subida logo no início, no trevo dos estudantes, o Zé Luiz, dirigente da FARJ e policial aposentado, dava uma baita bronca naqueles que passavam pela grama, dizendo que iria desclassificá-los. Me chamou a atenção o número de pessoas que saem atrasadas para evitar a muvuca na largada. Nessa corrida isso até que dá certo. Já na São Silvestre, com 20.000 pessoas só contando as inscritas, é pedir para ficar encaixotado.

Ao passar pelo Km 2, vi que não estava nenhum pouco forte: 9:26. Fiquei estarrecida. E foi assim o resto da corrida toda: 4:40.8; 4:40.9; 4:40.3; 4:26.1; 5:06.1; 4:38.8; 5:23.0. Pelos tempos dos quilômetros, acredito que algumas marcações estejam erradas. Não passei mal ou coisa semelhante. Simplesmente não conseguia correr. Até no treinão Adidas Sport for Life, cansada, com tênis alto e camisa enorme, corri melhor. Também atrapalharam a subidinha no início, o calor (cheguei a me sentir um pouco desidratada durante a corrida) e a ventania contra no trecho final, que chegou a derrubar as bandeiras de velocidade por Km hasteadas na largada.

Ao chegar, não encontrei o Thiago. Sai trotando e fui procurá-lo. Cheguei a pedir para o cara do microfone chamá-lo e nada. Não é que ele resolveu correr também, só que sem se aquecer e se alongar? O encontrei quando estava chegando. Ele deixara suas coisas com um casal desconhecido que já estava indo embora lá no MAM. Teria sido muito mais seguro se tivesse me pedido para guardas as coisas no gaurda-volumes.

Após isso, aguardamos o sorteio e fomos tentar comer algo mais. Com isso, bebemos mais Gatorate e consegui mais um lanche. Dei os dois mini torrones e os dois mini pães de mel para ele. Guardei as 2 maçãs, comi as 2 barras de cereal e devo ter tomado uns 4 copos de Isotônico. Confesso que achei pouco para o lanche da corrida. Ele até tentou algo mais mas não conseguiu. Já que tinha sobrado muito, eles poderiam ter dado para quem quisesse. Porém, os vi guardando os lanches e as medalhas que sobraram. O pessoal do Gatorate também saiu cedo. Na distribuição dos lanches encontrei uma velha amiga, a Angelita. Ela teve outro filho e, por isso, deu um tempo nas corridas. Se na barraca dela já não tivessem distribuído tudo, tentaria conseguir algo com ela.

Durante a corrida e no ônibus, o Thiago sempre ficava revoltado com os caras que me olhavam. Contudo, o que ele poderia fazer? Mesmo que fosse um cara fortão, não seria uma boa ideia arrumar briga com esses tarados que não respeitam a mulher alheia. Queria ver se eles iriam gostar se olhassem para as mulheres deles.

Chegando em casa, o pé dele ficou inchado no peito do pé. Coloquei gelo. Ele achou que doeu muito, mas não tem outro jeito. Ele vai ao ortopedista em uma clínica perto de sua casa para ver o que aconteceu. Seu problema foi correr sem se preparar adequadamente.

Meio a contra-gosto, o pesei. Deu 47,1 Kg. Ou seja, está magro demais. Por isso, fiz uma super vitamina de banana com aveia e o fiz tomar todos os 3,5 copos. E não parou por aí. Se eu sou considerada magra com meus 49,8 Kg, imagina ele, que é homem e mais alto do que eu. Não é só ele que não gosta de ser pesado. O meu gato Nicky começa a choramingar quando o levamos para a balança para que não saibamos o quanto está gordão.

As fotos serão postadas em breve no meu Orkut. Tiramos algumas fotos em casa, onde eu dei uma de Cammy de Street Fighter. Não é que sou mesmo parecida com ela. Para mais detalhes da corrida, acesse o site aqui. Vendo o resultado no mesmo dia, vi que tinha feito 48:03 (que vergonha, meu pior resultado dos 10 Km da minha vida!), ficando em 363° no geral absoluto, 33° no geral feminino e 4° na minha faixa-etária. Minha frequência cardíaca média foi de 176 bpm. Ou seja, fiz muito esforço, sendo que o calor e a ansiedade também ajudam a elevá-la.

Para concluir este texto, gostaria de fugir um pouco do assunto e falar o quanto estou feliz com o meu namoro, que vai completar 3 meses no dia 5 de dezembro. Finalmente encontrei alguém que me compreende por inteiro, que é parecido comigo e que aceita meus defeitos como são e não fica dizendo que não os tolera, assim como aceito e tolero os seus. Todavia, isso não quer dizer que não queremos nos tornar melhores e sim que admitimos nossas próprias imperfeições. Quero ainda dizer que além de um amor profundo, vivemos em harmonia, por gostarmos de coisas semelhantes e pensarmos de forma parecida. Embora não sejamos idênticos, respeitamos nossas diferenças. Vivemos um amor saudável, sem uma paixão doentia, que é tudo, menos um amor verdadeiro. Respeitamo-nos mutuamente e não brigamos, e espero que isso continue assim pelo resto de nossas vidas. Como somos seres ainda imperfeitos, não sabemos ainda o verdadeiro significado do amor, mas esforçamo-nos sinceramente para encontrá-lo, praticá-lo mutuamente e para com os outros.

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Free counter and stats for your website on www.motigo.com