Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

terça-feira, janeiro 12, 2010

Rio Anime Club 10/01/2010


O Thiago queria porque queria ir nesse evento de Bozo e não queria que eu deixasse de ir de jeito algum. Eu lhe dizia que estava muito ocupada mas mesmo assim ele insistiu loucamente para que eu fosse com ele e dizia que isso seria muito importante. Sabia que ele estava aprontando alguma. Suspeitava de algo como uma declaração de amor após a apresentação. Ou então uma subida inesperada ao palco para se declarar. Afinal, ele perguntara alguns dias antes quais eram as minhas flores favoritas. Ao responder margaridas, ele falou que lá não tinha.

No dia do evento estava extremamente quente. O termômetro em frente à barraca do Paulinho no Maracanã marcava 42 °C. O Thiago precisou ajoelhar para pegar uma moeda que caíra no chão do ônibus e sentiu seu joelho queimar. Porém, ele me dizia que o clube Hebraica, onde ocorreu o evento, tinha um ar-condicionado gélido.

Chegando lá, encontramos uma pequena fila debaixo de umas tendas onde o calor era insuportável. Me chamou a atenção o fato de não poder entrar com refrigerante. Talvez seja porque é proibido bebidas alcóolicas e alguém poderia entrar com refrigerante misturado. Ou então, porque lá dentro já vende refrigerante. E o calor continuava lá dentro do evento, pois o ar não estava ligado. Como todo mundo sabe, judeu é pão-duro, então, não ligaram o ar para economizar $$. Preferia que cobrassem mais caro e dessem mais conforto; o calor estava me deixando irritada. Além da roupa do Bozo, o Thiago trazia um objeto em um saco preto que parecia um bouquet de flores. Sendo que deveriam ser de mentira, pois com esse calor, nenhuma planta sobreviveria, ainda mais fechada em um saco.

Estava com fome e queria comer. Fui para uma escada para comer minha quentinha e o Daniel apareceu para pegar a peruca do Bozo para começar a engomá-la enquanto o Thiago tinha ido se inscrever no concurso de Cosplayer.

A área cosplay, ao contrário do que me dissera, também não tinha nada de muito vip. Nada de ar-condicionado nem ninguém do staff para ajudar os cosplayers. Apesar de haver controle de entrada na porta principal, quando não me deixaram entrar por falta da pulseira azul, entrei pela escada sem ninguém me incomodar e sem pulseira nenhuma. Só muito depois consegui uma e a pessoa que as estava destribuindo não estava fazendo controle algum. Ou seja, quem quisesse entrava lá na maior.

O amigo dele, Daniel, que se vestiu de um dos personagens de Piratas do Caribe, o ajudava com a peruca, aparando-a e engomando-a com laquê. Depois, ele foi se maquiar, sendo que com o calor, o fixador de maquiagem a borrava por causa do suor. Ele também estava bem atrapalhado; perdeu a tampa do Leite de Rosas e o deixou derramar em vários locais.

Ele era um dos últimos inscritos no desfile e o último na apresentação individual. Só que demorou tanto se arrumando que chegou atrasado no desfile e perdeu a oportunidade de ganhar um prêmio por sua bela roupa. Certamente conseguiria. Ele me pediu para ficar bem perto do palco.

Um cosplay legal foi o Hades. Outro foi o Jesus, que estava bem parecido com a imagem que temos Dele. Não acho desrespeito alguém se vestir de Jesus, desde que não se comporte de maneira ofensiva à figura do Nosso Protetor. O Lucas fez de novo a apresentação de propaganda do shampoo do Shiryu, desta vez mais bem interpretada e com o som melhor. Já um cara vestido de cachorro começou a interpretar um rap e estava legal, só que ele passou do tempo permitido (1 min) e não se mancava que já não estava agradando pois estava repetitivo. Precisou que as apresentadoras mandassem o público aplaudir para encerrar sua apresentação.

Na hora da apresentação do Thiago, ele entrou e deu um salto que quase acabou mal. Começou a dizer que não ia fazer bozo memória, nem batalha naval e nem brincar com as crianças. Disse que já havia feito outros personagens, como o Jaspion e o Aladdin, mas que não era feliz. E que só foi ser feliz quando me conheceu. Nisso, eu, que nunca pensei que me emocionaria com uma declaração de amor, comecei a chorar. Eu não percebi, mas ele também. Ele tirou a peruca, a maquiagem, sacou o bouquet e perguntou se eu queria casar com ele. Subi no palco e o abracei. Parece que muita gente se emocionou, inclusive uma das apresentadoras. Pediram a minha resposta, que foi: "Obviamente que sim!". Ele também chorou, como deu para ver pelas fotos.

Muitas pessoas nos parabenizaram, principalmente no fórum da comunidade do evento no Orkut. Infelizmente sempre tem um cara para dizer besteiras, que nem coragem de mostrar o rosto teve. Como o bom senso prevaleceu, todo mundo ficou contra ele. Infelizmente não tenho muitas fotos e ainda não vi o vídeo, que ficou sem som.

Estava tudo muito bom, tudo muito bem, quando o Thiago foi se trocar novamente. Ele colocou a camisa fora do banheiro e levou o tênis e a bermuda para lá, junto com o Leite de Rosas para tirar a maquiagem. De repente, ele volta perguntando onde estavam o tênis e a bermuda. Eu respondi que ele tinha levado para o banheiro! As roupas dele simplesmente desapareceram. Sendo que o celular estava no bolso da bermuda.

Tome de procurar a roupa e nada de ela aparecer. Havia um saco com uma roupa esquecida lá, e achávamos que a pessoa poderia ter se confundido e pego a roupa errada, já que isso acontecera com o Cláudio Roberto em um evento anterior. Ou então, poderia ser uma brincadeira de mau gosto de seus amigos, já que eles estavam envolvidos no planejamento da declaração. Vi o faxineiro com um tênis igual ao do Thiago, mas ele falou que o tênis do cara estava em melhor estado do que o dele. Não sei não. Sem querer acusar ninguém, o cara ficou meio que olhando para a gente. Achei estranho. O Thiago disse que os seguranças deveriam revistar todo mundo, mas isso seria inviável; o evento tinha mais de mil pessoas. Ele pensou em voltar de Bozo e ia até fazer a maquiagem novamente. Para a nossa sorte, o Daniel emprestou uma bermuda e um outro amigo, um chinelo. Na volta, o termômetro que marcava 42°C marcava 36°C às 20 h. Haja calor!

Lá ele comeu 2 copos enormes de açaí já depois do roubo. Acho que deveria ter comido algo antes também. Na saída, a peruca ficou com o Daniel para ser engomada. Ele e seu amigo comeram um pouco de seu segundo açaí. Parece que a peruca não teve jeito por ter vindo com defeito. O Thiago falou que vai reclamar com a fábrica para que lhe troquem a peruca, mas não sei se isso será possível. Afinal, ele já escovou, cortou, etc. Podem lhe dizer que ele perdeu a garantia por isso. Mais ainda, ele perdeu o certificado de garantia.

Nesse dia e nos seguintes, eu tentei ligar para o celular dele. No início, chamava e ninguém atendia. Depois, caía diteto na caixa postal. Como o Thiago disse que a carga dele estava no máximo, quem o roubou deve tê-lo desligado. Sorte que a carteira estava na mochila. Já pensou se roubassem a roupa do Bozo? Seria uma tragédia. Meu pai falou que roubaram a bermuda, também velha, achando que poderia ter dinheiro. E o tênis, para que levar um tênis velho? Esse ladrão deve ser bem pobre. É que nem os casacos que eu perdi, um na PUC e outro no ônibus, do lado da cobradora. Eram velhos e surrados. Quem tem um mínimo de condição financeira não iria querer aquilo. Pelo menos a mãe do Thiago não brigou com ele.

Ao menos o saldo final foi positivo. Pena que a apresentação dele não tenha sido contada como apresentação. Ele falou que ficou nervoso e não falou tudo o que tinha que falar. Se tivesse ensaiado mais e imitado mais o Bozo, não só contaria como talvez até ganhasse.

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Free counter and stats for your website on www.motigo.com