Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

terça-feira, setembro 14, 2010

Fascite Plantar - Como Tratar


Primeiramente, se você começar a sentir uma dor persistente ao pisar na região do calcanhar que com o passar dos dias aumenta ao invés de diminuir, procure um bom ortopedista. Ele vai mandar fazer os exames necessários, como radiografia, ultrassonografia ou ressonância magnética para ver / confirmar o grau da lesão, se não houve rompimento de fáscia ou esporão. Também deve mandar tomar anti-inflamatório por alguns dias. Não tome por mais dias do que seu médico mandar, pois tal classe de remédios causa efeitos colaterais, como inchaços, problemas estomacais e sobrecarga dos rins e pâncreas. Provavelmente vai te solicitar sessões de fisioterapia. Se não o fizer, insista para que o médico o peça. Sem isso, não haverá cura rapidamente. Se ele mandar fazer infiltração em algum momento, pense bem a respeito. Os medicamentos incluídos também causam os efeitos colaterais citados acima só que de forma mais intensa e podem causar desgaste nos tecidos. Então, nem pensar em fazer algo que solicite o pé se resolver fazer infiltração.

Para quem faz atividade física não tem jeito: tem que parar de fazer tudo o que pode forçar a fáscia. Ou seja, nada de corrida, caminhada ou spinning. No meu caso, tenho feito musculação e aula de local sem deixar o pé flexionado, deixando-o relaxado. Sei que isso não é o correto, mas não quero forçá-lo. E nada de agachamento, leg press, flexão plantar, panturrilha ou qualquer exercício que tenha que forçar a sola do pé contra o chão ou outra superfície qualquer. Na piscina faço só braçada. Não sei se poderia bater perna. Já me aconteceu de ter cãibra na sola do pé ao nadar. Portanto, acredito que bater perna possa forçar a área lesionada.

No meu caso eu também fiquei com o tornozelo inchado por evitar pisar no local inflamado. Isso é normal de acontecer. Apesar da dor, sugiro não compensar a pisada para não ter esse problema e alguma alteração postural, por exemplo.

Para que a fisioterapia funcione, tem que ser uma clínica de qualidade. A avaliação tem que ser demorada e o fisioterapeuta tem que te ouvir e te virar de cabeça para baixo antes de estabelecer o tratamento para ver o grau da lesão. Conte tudo em detalhes, não omitindo nada. Lembre-se de que quem estabelece o tratamento é o fisioterapeuta e não o médico. Mais ainda, tome cuidado com clínicas que colocam técnicos em fisioterapia. Essa profissão não é regulamentada. Também de nada adiantará se o tratamento for curto, de 15 a 30 min. Esse deverá durar pelo menos 1 h. Provavelmente será difícil encontrar uma clínica boa pelo plano de saúde. Eu por exemplo, estou pagando no particular. Os planos pagam um valor vergonhoso aos fisioterapeutas por sessão, menos de R$ 10,00. Não é a toa que muitas clínicas fazem tratamentos curtos. Como se sustentar com tão baixo valor?

Vamos ao que interessa agora, que é o que estou fazendo para tratar o problema.
  1. Sempre andar de tênis com um bom amortecimento e usando palmilha de silicone. E nunca andar descalça. Eu, que adoro andar descalça, estou sempre de chinelo agora. O salto alto pode dar uma sensação de alívio, pois o peso vai para o dedo dos pés. Porém, a fáscia é solicitada ao usar este tipo de calçado.
  2. Alongamento de panturrilha. Veja o vídeo abaixo:



    Na fisioterapia, faço 3 x 30 s na rampa com a sola do pé todo apoiado nela e o calcanhar encostado no colchonete. E faço o do vídeo acima também contando 30 s sempre que estou parada esperando alguma coisa.
  3. O exercício do vídeo abaixo é excelente. É melhora na certa. Mas não massageie o bastão no calcanhar, apenas na sola. Senão, a lesão pode piorar. Faça-o duas vezes ao dia.

  4. Massagear o pé com uma bolinha de tênis. Faça isso 3 x 5 min por dia devagar. Novamente deve haver o cuidado de não passar no calcanhar.
  5. Massagear o pé com sensiball. Faça isso 2 x 1 min por dia devagar. Novamente deve haver o cuidado de não passar no calcanhar.

  6. Gelo ou calor ajudam bastante. O melhor depende da própria pessoa. Eu faço os dois. Ora coloco um saco plástico com cubos de gelo preso à sola do pé, ora coloco o pé na água quente. No último caso, coloco o pé na água fria e acrescento a água quente aos poucos, até ficar um quente suportável. Deixe por 5 min. Assim que o calor ou o frio passarem, coloque mais uma vez. Faça isso pelo menos 3 x ao dia.
  7. Enrrugar a toalha. Coloque uma toalha no chão, sente-se de frente para ela e a enrrugue com os dedos devagar, deixando o pé todo no chão, até que a toalha fique toda enrrugada. Faça isso 8 x, 2 x ao dia.
  8. Acupuntura. Faça, se possível, 3 x por semana.
  9. Moxa. Deve ser acendida e sua chama apagada. Depois, faz-se uma varredura no local da dor. De tempos em tempos, faça como se fosse um cigarro e tire a ponta já queimada batendo-a em algum lugar. Se ficar muito fria, acenda-a novamente. O ideal é que seja feito por um acupunturista, pois ele pode pegar os pontos de acupuntura que eu desconheço, mas na falta de um, pode-se fazer sozinho desde que haja o cuidado para não se queimar.


  10. Crochetagem. Se conhecer algum fisioterapeuta habilitado para isso, ou seja, souber usar o gancho, faça 3 x por semana. Isso não pode ser feito em dias seguidos em hipótese alguma! É preciso ser forte, pois dói MUITO!

  11. Massagem profunda deslizando. Em dias alternados ao da crochetagem, massagem profunda na fáscia. Os fisioterapeutas dizem que não deve ser feita no calcanhar. Na minha opinião, ajuda massagear o calcanhar sim! Eu passei a fazer isso no meio do tratamento e sentia muito alívio. Na fisioterapia, fazem por 2 min. Não sei o tempo ideal. Se o fisioterapeuta for bom, vai doer.
  12. Ultrassom. O fisioterapeuta passa o ultrassom por uns 4 ou 5 min na área dolorida. Menos do que isso não ajuda muito. Se ele não ficar morninho, algo está errado com o equipamento. Se esquentar demais também tem algo errado.
  13. Tens. Na fisioterapia onde faço, deixam por 15 min. Todavia, pelo que sei, o ideal é que fosse de pelo menos uns 40 min. Ele não deve ficar muito fraco e deve ser aumentado conforme a sensibilidade diminui com o passar dos minutos.
  14. Alongamento de ísquios. Não sei para que serve, mas faça isso 3 x 30 s 2 x ao dia.
  15. Exercícios de equilíbrio. Pode ser no giroplano, no bozu, etc, mas o importante é fazê-los e sempre dificultar o exercício. Faça 2 x 1 min 2 x ao dia.

  16. Exercícios de fortalecimento. São 4 movimentos: para fora, dentro, cima e baixo. Faça 3 x de 12 para cada movimento 2 x ao dia. Pode ser com thera band como na imagem abaixo ou com borracha. A resistência deve ser forte o suficiente de modo a sentir o tornozelo trabalhando.

E para previnir o problema, o que fazer? Primeiramente, evitar os saltos-altos e os sapatos baixos demais. E, se você for atleta, jamais, em hipótese alguma, use tênis que já perdeu o amortecimento. Gaste um bom $$, aposente um tênis aparentemente ainda inteiro, mas não corra o risco. Melhor do que gastar muito mais dinheiro em fisioterapia como eu estou fazendo agora. Também evite correr no asfalto. Perca tempo e vá até um local com terra batida e grama ou a uma pista de atletismo. É preciso também ter cuidado com a postura. Nada de ficar com os pés na meia-ponta horas a fio em frente ao computador ou simplesmente na mesa de trabalho. Se isso é evitável, por que ter?

Marcadores:

2 Comments:

At 1/03/2012 10:47 AM, Blogger Churrette said...

Parabéns pelo post!

Se o ultrassom não estiver esquentando não quer dizer necessariamente que ele está com defeito. Ele pode estar sendo usado no modo pulsátil (que não gera calor) em vez do contínuo (que gera calor).

Já tive um paciente com fascite plantar, maratonista. O tratamento foi longo e ele melhorou. Procurou um fisioterapeuta que faz palmilhas personalizadas, o que também contribuiu para a melhora dele. também fazia uso de crioterapia em casa, quando se lembrava, kkkkkkkkkkk.


Daniele Azevedo.

 
At 1/12/2012 7:34 PM, Blogger Pantera Cor de Rosa said...

Quando me refiro morninho, quero dizer que ele não fica como ferro frio na sua pele. Mesmo no modo pulsátil, eu sinto que ele está ligado. Não é um ferro frio. Numa clínica ruim onde até pereba peguei no uso do ultrassom, eu tinha esta sensação, a ponto de perguntar ao fisioterapeuta se estava ligado. Ou estava com defeito ou estava com a intensidade muito baixa.

Abraços.

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home