Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

segunda-feira, dezembro 20, 2010

Corrida e Caminhada Natal Solidário




Eu já estava inscrita na corrida do dia seguinte quando soube que esta estava confirmada para o dia anterior. Sabia que isso seria muito cansativo. Todavia, o fato de a corrida ter sido muito boa e barata no ano passado conforme me disseram e de ser organizada pela FARJ, me fizeram desejar participar.

Foi difícil é descobrir como participar, afinal, o site da Federação de Atletismo do Estado do Rio de Janeiro só dizia que tinha esta corrida como evento no final do ano e mais nada. Procurando na Internet achei um site ainda meio que em construção sobre a corrida. Lá dizia que seria de novo à noite, na Vila Militar, que tinha que pegar o kit na véspera e pagar R$ 25,00 + 1 Kg de alimento não perecível.

O Thiago ficou reclamando pelo fato de eu querer correr mais uma ao final do ano. Mas ao lhe dizer que se eu corresse essa correria menos uma em 2011, ele se acalmou e parou de ficar falando no meu ouvido.

Entrando em contato com o e-mail da organizadora no site, a Luz Eventos, fiquei sabendo que não teria taxa de inscrição e que poderíamos pegar o kit no dia mesmo. Aproveitei que era de graça e inscrevi o Thiago.

No dia 18, Thiago e eu pegamos o trem das 17:49 e saltamos em Deodoro às 18:20. Antes de andar encontar o local, fomos olhar na grade de horários a hora do último trem. Estava escrito que era quase 23 h. Depois, fomos procurar a tal Primeira Divisão do Exército. Depois de muito andar, encontramos o local. Se tivesse saltado na Vila Militar, estaríamos bem mais próximos.

Havia muitos atletas jovens da FARJ com seus uniformes e o pessoal da equipe do SESI. Também encontrei vários dos funcionários e juízes da federação por lá, inclusive o presidente Lancetta.

Estava tudo muito bonito e iluminado. Havia uns quartéis que enfeitaram até os canhões. Havia uma banda do exército tocando e várias cadeiras no local de largada para assistirmos. A corrida estava marcada para às 19 h, só que a banda não queria largar o osso e não parava de tocar músicas. Eu estava ficando preocupada e perguntei ao Zé Luiz se ia demorar muito, pois temia perder o último trem. Ele disse que o evento se encerraria às 22 h e que não haveria motivo para apreensão.

Depois da banda, que por sinal estava muito boa, tocando até Michael Jackson, teve o coral e, por fim, o Papai Noel. Depois disso, as cadeiras foram tiradas para ter início a corrida. Eu havia me aquecido às 19 h e dei mais um trote por volta das 20 h. Só às 20:30 a corrida começou. O problema é que a essa altura estávamos com fome, pois tinha comido pela última vez às 17:10.

Logo antes da corrida passaram o vídeo que está antes do início do texto. O Elisvaldo, um grande ex-atleta que trabalhava no apoio, falou que tinha que trocar a fita na hora em que dizia que a corrida começaria às 19:30.

Nesta corrida o chip era diferente. Ele ficava preso no número e era detectado por rádio-frequência. Com ele, dá para saber a localização em tempo real de um atleta. Bem melhor do que ficar colocando chip no tênis. Esta é uma tecnologia nova da Allen Informática.

Quando começou, falei para o Thiago vir comigo. Passei o 1º Km para 4:41, o que estava razoável para a minha forma atual e eu parecia não estar puxando muito. Só que eu não consegui manter este ritmo nos quilômetros seguintes. O Thiago passou a minha frente no 2º Km e ficou assim até o 3º. Só que ele passou mal e acabou parando, o que me deixou preocupada. Água só tinha após o 2º Km. Considerando que a corrida era curta, não estava ruim. Eu tropecei durante o último quilômetro, porém continuei mesmo assim. Fechei com 25:19 aplaudida peso pessoal. Isso foi muito legal considerando que não corri nada. Achei estranho ter corrido mal, pois na semana anterior tinha o sol, forcei muito mais no início e corri para 24:12...

Assim que acabei fui encontrar o Thiago no meio do caminho. Não demorou muito e eu o achei e o puxei até o final. Antes de partir, o Zé Luiz veio me dizer que o lanche era para o outro lado e eu disse que tinha que buscar meu noivo. Não sei o tempo dele, mas deve ter sido de uns 28 min, o que deve ter sido seu melhor desempenho até então. Nada mal para quem não está acostumado a treinar.

Encontrei meu ex-vizinho Kerindê, um excelente jovem atleta. Ao falar de minha fascite plantar, ele falou que também já sofreu com isso. Estranhei o fato de um não-fundista ter este tipo de lesão, mas ele falou que o problema é o fato de o seu pé de apoio ser muito espesso.

Fomos para o lanche. Meu noivo começou a passar mal e os médicos precisaram ser chamados. Eles foram super atenciosos com ele. Para mim, foi falta de treino aliado a excesso de esforço somados a sua péssima alimentação.

Terminada a corrida, teve a corrida infantil. As crianças inscritas ainda iam ganhar presentes do Papai Noel. Vi que no saco tinha umas bolas.

No lanche tinha uma enorme mesa com frutas, sucos, bolo e panetone. O bolo estava uma delícia. Tanto que acabou rapidinho. Os sucos também estavam bons, juntamente com o guaraná natural. Infelizmente não poderia ficar comendo tanto quanto gostaria, pois já estava tarde.

Quando saímos era 21:42 e fomos até a estação da Vila Militar, que estava totalmente escura. Resolvemos então ir para a de Deodoro. Mais uma caminhada e, para nosso desespero, estava fechada. Ao contrário do que dizia no mural, o último trem passou antes das 22 h. Estava muito escuro e estávamos com medo. Como sou previnida tinha dinheiro para uma eventual volta de taxi. Demorou um pouco e vimos um taxi que não parou de primeira, contudo, resolveu nos levar. Ele mesmo disse que não iria parar. Só que achou que poderia ser uma emergência e nos levou.

Eu também tinha medo de o taxista nos fazer algum mal. Entretanto, quando ele começou a falar que ia dar uma passada rápida em casa para falar com a mulher, me acalmei. Ele era bem simpático e também gostava de bozo, assunto de quase toda a viagem, que saiu mais do que R$ 50,00. Se eu soubesse antes que o último trem saía às 22 h, só pegaria uns bolinhos e ia embora.

Chegamos um pouco depois das 23 h exaustos. Para piorar, estava agitada e quase não consegui dormir. Sobre a corrida do dia seguinte, leia a próxima postagem. Olhando a grade horária dos trens no dia seguinte, constatei que de fato não tinha mais trem depois de certa hora.

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Free counter and stats for your website on www.motigo.com