Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

quarta-feira, janeiro 26, 2011

Corrida de São Sebastião 2011


Fiz a minha inscrição nesta corrida com antecedência, pagando R$ 45,00, mas acabei não fazendo a do Thiago. Resultado: as inscrições se encerraram e ele teve que correr por fora.

A organização anunciou que daria um kit bombado. Na hora de pegá-lo, a não ser pela qualidade da sacola e uma revista sobre a corrida, o resto era o de sempre: camiseta e boné bonitinhos. Ao reclamar com a organização, eles mesmos admitiram que foi um erro da empresa de marketing contratada, por não ter noção de como são os kits das outras corridas. Faltou ter brindes, como teve no da Corrida das Academias.

Na véspera da corrida fazia muito calor. Avisei ao Thiago para não correr de Bozo. Só que não teve jeito. Porém, teve que ir sem o nariz, já que aparentemente a Belinha o roubou achando que era seu brinquedo. Ele estava junto com a peruca, só que simplesmente está desaparecido até hoje.

Chegando no local, fomos para a barraca da minha academia deixar as coisas. Ele foi apenas vestir a roupa do Bozo, já que já veio maquiado de casa. Novamente teve gente para dizer o óbvio: que ele era muito magro.

Desde o aquecimento sentia o quanto estava quente. Chegada a hora da largada, fui me posicionar o mais na frente possível. Não fiquei lá na primeira fila. Contudo, consegui um bom lugar. A espera não foi muito grande, mas o suficiente para eu suar loucamente nas pernas.

Tinham mais algumas pessoas fantasiadas. Além do Bozo, tinham os tradicionais Papa, Vovó Tricolor e o Homem-Natureza, juntamente com um Flash.

Dada a largada, não fui muito forte. Mantive mais ou menos a mesma velocidade do início ao fim e terminei com 51:51. Durante parte da prova, vi um termômetro marcando 34ºC em Botafogo às 8:30. Um homem da minha academia que passou depois de mim viu esse mesmo termômetro em 36ºC. A marcação de quilômetros novamente tinha alguns erros. Todavia, eles sempre colocam o tempo decorrido da prova e a velocidade média acima de cada placa de quilômetro. Infelizmente, a água do último e quarto posto d'água estava quente. Acho que é porque eles colocavam a água em uma mesa que tomava sol direto e quando está quente a água se aquece muito rápido.

O Thiago estava me esperando na chegada com a fantasia toda desmanchada. Ela ficou com um fedor tenebroso. No fim de semana, ele estava passando mal, com calafrios. Acho que teve a ver com a corrida no calorzão com aquela roupa.

Ao chegar, peguei um isotônico e consegui 2 sacos de frutas, do qual comi uma maçã. Já o isotônico eu dei para o Thiago. Fui para a barraca da academia onde tomei 6 copos de 300 ml de Gatorate e 3 sanduíches integrais de atum. O Thiago queria ir embora. Porém, eu queria esperar o sorteio e a premiação por faixas-etárias.

No sorteio, não houve nenhuma novidade; continuei não ganhando nada. Antes da premiação por categorias, fui tentar pegar mais uma fruta. Entretanto, um cara da organização nos mandou embora aos gritos, dizendo que ia levar o que sobrou para Nova Friburgo. Fui embora logo e deixei o resto do pessoal discutindo com o cara. Até reclamei com a organização a respeito e sobre o fato de só ter tido banana e maçã. Afinal, em outras corridas sempre teve melancia e tangerina. Eles falaram que realmente sempre dão mais frutas aos atletas, mas que desta vez acharam que a prioridade era levar as frutas às pessoas necessitadas na Região Serrana. Mais ainda, disseram que não teve tangerina e melancia pois essas frutas vem de lá e, por causa do desastre, ficaram muito caras. Só que a gente paga caro pela inscrição. A Spiridon nem cobra muito caro, porém o valor poderia ser mais baixo.

Durante a premiação por categorias, a Sionice, da faixa de 45-49, ficou revoltada por não ter sido chamada. Ela ainda tentou reclamar e, conhecendo-a, sabia que teria pego pódio. Disse-lhe que talvez algum homem tinha usado chip de mulher. Só sei que ela estava como primeira da faixa-etária na classificação final. Teria ela saído na elite indevidamente? Quando chegou na minha faixa-etária, ao ver que meu nome não era o da 3º, já queria ir embora, quando ouvi que tinha sido a 1º. Nem acreditei! Afinal, eu fiz um tempo horroroso. Comemorei no pódio juntamente com uma amiga minha para quem já perdi na corrida Pela Vida, onde eu fui a 12º e ela a 2º.

Voltei para a casa e não demorou muito para os resultados saírem. Fui a 348º no geral absoluto e a 24º no geral feminino. Achei estranho o fato de eu estar como 2º na minha faixa-etária no relatório final. O que terá ocorrido neste caso. Só sei que a que está como 1º lá não apareceu para reclamar. Ao falar disso com os organizadores, eles culpam os atletas. Em muitos casos é verdade mesmo. Só sei que minha classificação foi muito boa considerando meu péssimo tempo. O calor pode fazer muita diferença no tempo de um atleta. No ano passado, apenas 10 mulheres fizeram a prova abaixo de 50 min. Este ano, que está sendo menos quente que o anterior, 21 conseguiram tal feito. O chato é que cada vez o mundo vai ficar mais quente.

As fotos podem ser vistas no meu álbum de corridas deste ano no Orkut.

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Free counter and stats for your website on www.motigo.com