Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

sexta-feira, dezembro 23, 2011

Circuito Fluminense de Corrida Rústica e Caminhada - Etapa Vila Militar


Essa corrida marcou justamente a minha volta às competições. Só que para meu grande azar, peguei uma fortíssima gripe no final de semana anterior, só conseguindo voltar a treinar bem na quinta-feira, e mesmo assim fazendo muito esforço.

O dia para a retirada do kit era uma sexta-feira. Eu já estava a caminho da estação de trem quando eu vi que a mesma estava fechada por causa de um protesto por um trem quebrado. Resolvi que ia para lá de ônibus. Porém, por não saber como chegar lá, liguei para a organização, expliquei o fato e perguntei se não poderia pegar o kit no próprio dia. Disseram que sim, desde que eu chegasse antes das 18 h.

Acabou que cheguei lá no dia por volta das 17:30. Eu estava cansada pois havia ido em Petrópolis pela manhã para pegar o kit da corrida do dia seguinte. Peguei meu número e coloquei no peito. O pessoal da organização perguntou o porquê de eu ter sumido. Falei da lesão grave que tive. Se bem que dificilmente iria em etapas futuras por causa da distância. E só não fui em Rio das Ostras por causa do batizado do meu sobrinho. Gosto de ir às etapas do Circuito porque além de serem de graça e ter uma senhora mesa de comilanças ao final, acho o pessoal da organização muito simpático.

Neste ano simplesmente não deram nome à corrida, deixando-a como uma simples etapa do circuito. Até a camiseta e a medalha eram as mesmas de sempre. No ano passado isso foi melhor, com camisetas e medalhas exclusivas. O pior foi que muitas medalhas estavam despencando. Sei que a corrida é gratuíta. Todavia, fazer medalhas e camisetas em série sai tão barato... A do ano passado é simples, porém bem bonitinha. Até gosto de usar as camisas do circuito. Elas são bonitas. Só acho que deveriam variar um pouco.

Neste ano também mudaram o local da cantada de Natal, ficando em um espaço bem maior e com muito mais cadeiras. O chato é que a cantada de Natal começou tardão, depois das 19:30. Realmente fica muito bonito. Sem falar no efeito dos enfeites de Natal na corrida. Porém, isso tinha que ser bem mais cedo, principalmente para quem não mora perto.

O tal cara que sempre me pergunta se eu treino no Célio de Barros estava lá. Desta vez ele não perguntou, apenas disse novamente que estou magrinha. Encontrei também um outro colega que já correu várias etapas do Circuito. Ele e outras pessoas me perguntaram pelo Thiago, que não foi devido a uma prova no dia seguinte.

Eu me aqueci com certa antecedência a toa, já que neste ano a corrida conseguiu atrasar ainda mais, começando às 21 h. E o apresentador não parava de falar. Todo mundo começou a vaiá-lo. Ao contrário do ano passado, tinha gente pra caramba. Deve ter dado mais de 1000 pessoas na corrida. Na largada dava para ver que tinha uma multidão atrás.

Por causa da gripe e de estar sonolenta, não consegui correr bem. Simplesmente não conseguia fazer muita força. Para piorar, eu não enxergo nada bem no escuro, a ponto de ter levado um tombo num buraco na corrida do ano passado. Isso me causa certo medo, além de eu também não conseguir enxergar o relógio.

Nas duas viradas eu contava o número de mulheres na minha frente. Na primeira, tinham 5. Já na segunda tinham 4, já que eu tinha ultrapassado uma atleta do Vasco. Os dois primeiros quilômetros estavam errados, tendo distância maior. Sei disso pois o local tem marcação de distância. E, pelo que estava marcado nos postes, havia uns 200 m a mais no 1º e uns 400 m a mais no 2º Km. Já nos outros quilômetros eles foram acertando, devendo ter dado mais ou menos 5 Km mesmo.

Teve um homem que foi me acompanhando em boa parte do percurso. Pra onde eu ia ele ia. Acabou que esbarrei nele. Ouvi meu relógio fazendo um pi. Achei que tinha marcado uma volta e nem liguei. Porém, quando reparei vi que o cronômetro tinha parado! Não sei como, pois o botão fica do lado, mas tinha.

Já perto da chegada, comecei ouvir uns gritos. Era a vascaína desesperada tentando me alcançar. E não é que ela conseguiu. Jovem, velocista... Se bem que qualquer pessoa desse mundo me ganha na velocidade. É duro ver mulheres que são praticamente sedentárias treinando para concursos sendo capazes de fazer os 100 m em 16 s, enquanto meu recorde é de 17,8 s...

As outras crianças do Vasco começaram a cantar aquele hino de fuzaca não sei das quantas para comemorar. Como tinha ficado em sexto e já estava muito tarde, peguei apenas uns abacaxis e fui para o ponto de ônibus. A premiação estava para ocorrer. Contudo, teria corrida no dia seguinte e precisava ir dormir. Obviamente queria ficar para comer mais um pouco, só que não dava. Já passava das 21:30 e já não tinha mais trens, o que acho um absurdo. Ao menos prestei a devida atenção aos ônibus que passavam e vi que tinham uns que iam para o centro.

Peguei um que vai para o Castelo. Estava cheio pois um anterior havia quebrado. Para a minha segurança, mais atletas entraram no ônibus. Eu sentei na escada para deficientes mesmo. Estava muito cansada para ficar de pé. Depois vagou um lugar e eu sentei ao lado de uma senhora cearense que ia para a feira de São Cristóvão sozinha (!?), sem conhecer o Rio de Janeiro direito.

Estava muito chateada pela colocação e por ter corrido mal. Tanto o Thiago como minha mãe estavam preocupados com minha demora. O ônibus estava indo rápido. Contudo, a Vila Militar é muito longe do Maracanã. A tal senhora saltou antes da rodoviária no meio do nada. É muita loucura.

Já eu saltei junto com um casal de senhores. Peguei um taxi por ali e voltei para a casa. Achei mais seguro do que esperar um ônibus que fosse para o Maracanã. Até porque ele é demorado e talvez já nem estivesse circulando.

Chegando em casa fui direto para a cama. Entretanto, quem disse que a adrenalina me deixava dormir. Depois, no site, vi que meu tempo foi de 23:10. Só que pode ser que ele esteja totalmente errado... Afinal, na colocação eu estou em sétimo, sendo que há 8 mulheres na minha frente, com duas colocações repetidas. Há duas 3º e 5º lugares, só que com tempos bem diferentes. Para piorar, a que chegou na minha frente estava com a idade de uma pessoa bem mais velha do que a menina que chegou na minha frente. E quanto aos homens, no site há apenas 186 concluintes. Impossível, tinha muito mais gente lá! A Allen Esportes sempre se enrola com os resultados, impressionante! Sem falar que a busca por resultados no site é bem ruim. Você quer pesquisar outra pessoa da lista e tem que fazer a busca toda de novo. Desta vez eles sequer puseram o vídeo. Desde a etapa de Macaé não teve mais vídeo. Uma pena, pois gostava muito de vê-los.

Mas nada como um dia após o outro...

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Free counter and stats for your website on www.motigo.com