Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

sábado, julho 14, 2012

Family Run 2012


Não tinha planos de correr esta corrida até ganhar a inscrição no sorteio do Ativo.com no Twitter. Diz meu namorado Thiago que sou sorteada propositalmente. Acho que ganho pois poucas pessoas se inscrevem nesses sorteios do Twitter para corridas. Já para ganhar comida, o que realmente muito me interessa, eu nunca consegui nada.

Só participei da Family Run uma vez em 2005, sendo a oitava geral com 24:50 mesmo estando menstruada, quando estava no auge da minha forma e a corrida se chamava Corrida JB Pela Paz. Daquela vez, a saída era na chegada da maratona. Havia uma curva logo de início, o que era ruim, dava a volta no km 3 e voltava. Nesse ano, quem corria a maratona tinha que dar a mesma volta.

Logo às vésperas de pegar o kit, pediram para eu comprar 3 latas de leite em pó para doação. No dia de pegar o kit, se eu não falo isso, ninguém nem se lembraria das latas. O kit era bonito, apesar de eu preferir que o da Family Run fosse verde como o da meia-maratona e a camiseta sem manga como as das demais provas. Ao menos tudo era de boa qualidade. Para melhorar, eu tinha recebido um e-mail falando que os tênis Olimpkus estariam com 20 % de desconto, justamente a marca que gosto para competir, por serem bem leves. Fui lá ver e comprei um levinho e bonito por R$ 149,90. Nem vou precisar neste e no próximo ano. Porém, quando vou conseguir um preço tão bom novamente? Para melhorar, quem comprava tênis ganhava uma pulseira para ficar na área VIP da Olimpkus, com comes e bebes.

Ainda bem que não corro meia-maratona. Largada às 6:30 da manhã é muito ruim. Já acho a Family Run ser às 8 h ruim. Teria que madrugar muito, correria mole e haveria o risco de ter vontade de ir ao banheiro durante a prova. Prefiro pegar calor e largar por volta das 9 h, qando estou bem mais desperta. Dizer que nessa época do ano não faz calor não é verdade, pois durante a semana toda fez um calor danado, vindo a fazer frio só no dia da corrida. Não dá para se confiar no clima do Rio de Janeiro.

Quando cheguei ao local por volta das 7 h não estava frio. Foi difícil conseguir um copo d'água, algo que só consegui ao pedir na chegada das provas longas. Também achei os banheiros muito longe. Ao menos desta vez capricharam e colocaram muitos banheiros.

Neste ano as chegadas da meia-maratona e maratona eram diferentes da Family Run. E quem corria as provas maiores não precisavam dar volta nenhuma, o que é bem melhor. Já a largada da Family Run novamente iria 3 Km e voltaria 3 Km de acordo com o regulamento, onde dizia claramente que eram 6 Km, só que desta vez a largada era do outro lado.

Para minha tristeza, me sentia inchada. Os sintomas de TPM estão cada vez começando mais cedo e me torturando por muito tempo. Só consigo mesmo me sentir bem nos primeiros 14 dias do ciclo. Contudo, mesmo assim, ira tentar fazer o tempo esperado para minha forma nesta temporada: 26:48.

A largada seria no sentido MAM. Logo antes de largarmos, os primeiros colocados da meia-maratona começaram a chegar. Nossa largada foi na pista mais próxima aos carros. Imaginei que daríamos a volta, pegar a pista mais interna e chegar na chegada das demais provas embora achasse que isso poderia dar alguma colisão. Dada a largada, muita gente atrasada ainda se encaminhava para se posicionar.

Logo de início mudamos de pista. Como o retorno foi no Km 2,5, imaginei que passaríamos pelo pórtico de largada, daríamos a volta e chegaríamos na chegada das outras provas e no mesmo sentido deles. Fazia sentido. Só que quando começou a chegar perto da largada, vi o pessoal desacelerando depois dela. Pensei que havia sido um engano. Entretanto, ao chegar vi que de fato a corrida terminou ali. Não entendi nada e fiquei decepcionada. Se soubesse, teria forçado mais e não teria bebido água 2 x. Teria tentado de todas as formas bater meu melhor tempo desde que voltei da lesão.

Para piorar, ainda havia gente atrasada largando e quem estava chegando tinha que desviar. Desorganização total!

Fechei a prova com 22:12, com as parciais de 4:14; 4:18; 4:36; 4:28; 4:32. Já as médias de frequência cardíaca foram: 173; 180; 179; 181; 183. Ficou alta assim por causa da TPM, o que é normal se não estiver mole.

Peguei o lanche e fui para a barraca da Olimpkus. Tinha café, leite, água de coco, sucos de laranja e melancia, croissants, bolo, salada de fruta, mel, granola e sanduíche. Eu tomei muito mel e suco, sendo que dei azar e peguei um de melancia estragado. O suco tinha ficado muito tempo lá e parte dele teve que ser jogado fora. Também comi melancia da salada de frutas. Comi até demais.

Não fui prevenida e não levara casaco. Sabia que iria esfriar só que não imaginava que a temperatura iria despencar tanto de um dia para o outro. O fato é que passei o maior frio. Sorte que uma boa alma conseguiu uma capa de chuva para mim.

Queria procurar meus amigos. Naquela multidão era meio complicado. Fui na acessoria Speed e o Luiz Eduardo estava correndo a maratona e não tinha chegado. Já o Comendador Costa da APPAI também não estava em sua barraca. Também procurava o Jorge Ultramararonista e as amigas virtuais Dart e Fernanda. Até que vi o Jorge após a chegada. Depois de muito andar encontrei e reconheci a Dart. Ela estava muito emocionada. Para mim encontrar as pessoas é complicado pois enxergo muito mal de longe e sou teimosa, não querendo usar óculos. Conhecer a Fernanda pessoalmente infelizmente ficou para uma nova oportunidade.

Quem correu a Family Run estava revoltado. Já o pessoal da meia-maratona reclamava que o guarda-volumes não havia chegado. O pessoal estava com frio e não tinha casaco para usar. Ao chegar em casa não havia nenhum pedido de desculpas da organização. Eu meti a boca no trombone. Reclamei por e-mail para a Spiridon, no Facebook da Maratona, da Spiridon, do Ativo.com, do Webrun e para o e-mail do blog pulso do Globo.

No dia seguinte no jornal disseram que houve um erro do batedor que pegou o percurso errado. Se foi o caso, como as marcações pareciam ser feitas para uma corrida de 5 Km. Só quando minha reclamação foi publicada no Pulso que a Spiridon respondeu:

Family Run: reclamação de Juliana Carpes Imperial

"Venho aqui para reclamar da Family Run. Estava anunciado que eram 6Km. Em 2005, quando corri da ultima vez, foram 6 Km. Só que chegou na hora e foram 5Km. Achei que fosse passar pela largada, dar uma volta e fechar junto com a chegada das outras duas outras provas. Se soubesse que já estava terminando, tentaria melhorar meu tempo dos 5Km desde que voltei da lesão que tive no ano passado. Não dei sprint e cheguei a continuar correndo até constatar que realmente tinha terminado. Se por algum motivo não dava para fazer a prova com os 6Km, isso tinha que ter sido muito do bem anunciado.

Outra queixa é que as pessoas que largaram atrasado vinham em sentido contrário ao nosso de chegada. Sim, enquanto eu estava chegando tinha gente saindo e tive que desviar para não bater. Isso poderia ter sido melhor organizado. A corrida é para ser descontraída e não bagunçada.

Medalha da Family Run simples demais. Em 2005 foi bonita. Por que pioraram? A da meia e a da maratona eram bem mais bonitas.

Eu ganhei no sorteio, mas quem pagou está se sentindo lesado como consumidor.

Por fim, quem correu a meia estava reclamando que o guarda-volumes ainda não tinha chegado. Teve gente passando frio pois o casaco não havia chegado. A prova é realizada há vários anos e tais erros não podem mais ocorrer.

Já reclamei no Facebook, por e-mail e até agora nenhuma resposta. Cadê a consideração com o corredor? A Spiridon deve um pedido de desculpas formal aos corredores. Li no jornal que foi erro do batedor. Isso de fato pode ocorrer, embora a marcação, os cones, tudo parecia preparado para uma corrida de 5Km. Se foi isso o que ocorreu, a organização tinha que ter se desculpado ali no microfone.

Juliana"

Nota da Spiridon e da Dream Factory sobre o problema da Family Run

"A Dream Factory Sports e a Spiridon Eventos, organizadores da Maratona CAIXA da Cidade do Rio de Janeiro, gostariam de parabenizar e agradecer aos 7 mil participantes da Olympikus Family Run pela bela festa proporcionada, e aproveitar para pedir desculpas.

O Aterro do Flamengo é palco de muitas provas com várias distâncias, muitas destas já marcadas no asfalto com pinturas bem visíveis e praticamente definitivas. A Olympikus Family Run, originalmente de 6km, teve seu percurso encurtado em 1km, por conta de um engano do marcador da prova, induzindo o batedor que conduzia o cortejo da elite a retornar antes. Com isso, a distância percorrida por todos foi de 5 km.

A organização sabe o quanto é importante para os corredores percorrer a distância pretendida, e lamenta imensamente o ocorrido, esperando que a falta deste 1 km não apague a emoção da participação, e tenha tornado incompleta a manhã dos amantes da corrida de rua."

Só me pergunto como em um evento deste porte o marcador erra e ninguém percebe. Já pensou se o erro fosse na marcação da maratona ou da meia-maratona. Resposta blasé, isso sim. E nem se desculparam pelo guarda-volumes e pelos ônibus para a largada. Neste último caso, teve gente saindo atrasada por causa da desorganização. Para resolver o problema, acho que os tickets deveriam ser adquiridos com antecedência e só poderia usá-lo no ônibus com o horário de saída correto. Senão, acontece o que se viu de todo mundo querendo pegar os últimos ônibus para a largada, causando a maior confusão.

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Free counter and stats for your website on www.motigo.com