Pantera Cor de Rosa

Este é o blog de Juliana Carpes Imperial, mais conhecida pelos desconhecidos como a Pantera Cor de Rosa por volta e meia ir correr toda de rosa.

domingo, janeiro 25, 2015

Corrida de São Sebastião


Fiz minha inscrição com bastante antecedência, no final de novembro, para evitar pagar ainda mais caro do que os R$ 75,95. Não gosto de fazer muito tempo antes pois posso acabar me lesionando e não podendo correr. Essa organizadora até devolve o dinheiro caso ocorra esse tipo de problema. Porém, se tentar fazê-lo muito em cima da data da corrida, já não é mais possível.

Fui pegar meu kit no sábado, dia 17 de janeiro na sede da APPAI, no centro da cidade. Com medo de um prédio comercial não me deixar entrar de bermuda, fui de vestido. Mas ao chegar lá um monte de gente de short pegava o kit sem maiores problemas.

O kit estava meio simples desta vez. A sacola foi de qualidade e a camiseta sem manga (ainda bem!), bonita.

Como disse na postagem anterior, comi lasanha de pão árabe no dia 18 e estava cansada da corrida em volta do Maracanã. Mesmo assim, esperava cumprir a meta de 46:58 caso a corrida tivesse 10 Km certinhos. Afinal, tivera um desempenho razoável na outra.

No dia, acordei às 6 h da manhã, saí às 6:30 e cheguei ao local às 7 h. Nessa hora ainda estava fresco. Deixei minha bolsa no guarda-volumes, peguei 2 copos d'água com a organização na chegada, fui ao caminhão-banheiro, e fui me aquecer. Me sentia meio presa.

Os caminhões-banheiros são bem melhores que os químicos e ainda por cima têm faxineiros(as). Então, estão sempre limpos. O problema são algumas cabines cujas cortinas não fecham corretamente. Achei que a quantidade de caminhões atendia a demanda. Só a Spiridon os usa.

Na hora de ir para a largada, já tinha muita gente e não consegui me posicionar muito a frente. O arcebispo rezou o Pai-Nosso e foi dada a largada. Tive que ir andando e dei até uma parada na frente do pórtico porque tinha um monte de gente apenas trotando na frente. Perdi tempo desviando esse pessoal que corre devagar e cisma em sair lá na frente. Nesta corrida hoje em dia não precisaria ter largada em ondas. Ela no passado dava 10.000 pessoas pois antes de a Iguana e a O2 entrarem no mercado, eram poucas as corridas no Rio de Janeiro. Mesmo sendo apenas 10 Km e no calorzão, ia muita gente mesmo. Atualmente o limite é de 5.000 pessoas e a maioria vai nos 5 Km. Mesmo sem largada em ondas, poderia ter largada em pelotões ou colocarem a largada dos 5 Km meia hora depois da dos 10 Km. E, obviamente, colocarem limite de inscritos em cada modalidade (por exemplo, 3000 em cada uma delas). Ao menos todo mundo vai junto até os 5 Km, quando termina a prova mais curta e quem corre os 10 Km não fica engarrafado com o pessoal mais lento dos 5 Km. O pessoal da O2 e da Iguana deveria fazer isso também.

Comecei correndo bem. Contudo, já no 3º Km, não consegui mais manter o ritmo e me arrastei até o final. Ao menos não fez tanto calor e a água, em cinco postos, estava sempre bem gelada. Minhas passagens foram: 4:27.5; 4:32.4; 4:51.7; 4:44.4; 4:43.5; 4:50.4; 4:48.5; 4:54.8; 4:50.8; 5:51.7. Não morri no último quilômetro. A corrida é que teve 10,2 Kms. No ano passado teve 10,1 Kms. Daqui a pouco, vai ter 11 Kms. O erro começou a partir do 5º quilômetro, sendo que o maior erro foi entre os quilômetros 9 e 10. Lembrando que as marcações de tempo acima foram as que meu GPS marcou. Até o quilômetro 5, meu GPS e as placas estavam andando mais ou menos juntas. Dessa vez não puseram o cronômetro em cima das placas.

Na chegada peguei a medalha, que achei simples demais em comparação com edições anteriores, tomei chuveirada geladinha, e fui lanchar. Tinha picolés de uma marca brasileira que não conheço. Todavia, eram muito bons. Provei os de morango, coco, uva e leite condensado, o melhor. Tinha também banana e melancia. Pena que ao final fecharam o freezer e não nos deixaram pegar mais sorvetes. Em compensação, o pessoal da organização estava se fartando. Não achei isso certo, pois fomos nós corredores que pagamos a corrida.

Teve sorteio novamente. Além de mais uma vez não ter ganhado nada, achei que sortearam poucos prêmios. Queria ter ganhado o tênis.

Novamente o pessoal fez protesto pela reconstrução do Célio de Barros e mais uma vez não vi meus amigos de protesto. Ao menos vi nas fotos que o Giovani dos Santos, o campeão, posou com a faixa.

Oficialmente, fiz os 10,2 Km em 48:33 (muito ruim!), sendo a 174º no geral absoluto, 16º no geral feminino e 1º na categoria 35-39 anos. Ao menos, vou receber mais um troféu. Espero muito tomar vergonha na cara e não comer nada pesado às vésperas da próxima competição. Não é a primeira vez que me dou mal por causa disso. Se fosse só o cansaço o resultado não teria sido tão ruim. Ganhar peso assim de bobeira atrapalha muito.

Marcadores:

1 Comments:

At 1/30/2015 8:58 PM, Blogger Jorge said...

Ju muito bom o relato detalhadissimo, so nao gostei dos caminhoes banheiros, para vcs mulheres e mais rapido pq vcs sao mulheres, mas para os homens fica muito mais cheio e vi muitos homens indo utilizar as arvores...Parabéns e ja que foi a primeira na faixa etaria tera direito a troféu!!!

Bons treinos!!!

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Free counter and stats for your website on www.motigo.com